terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Exames Gerais

Estou tomando ácido fólico desde que descobri que estava grávida. Na verdade foi por conta própria, pois como sou uma futura nutricionista, sei que se deve tomar.
O ácido fólico, mas conhecido por mim como Vitamina B9, é responsável pela formação de proteínas estruturais (que o bebê precisa, e muuuuuuuuuito) e hemoglobina (que tb o bebê precisa muitíssimo).
Na verdade a futura mamãe deve começar a tomar o Ácido Fólico 3 meses antes de engravidar e perdurar durante toda a gravidez, sendo o pico de maior importância nos 3 primeiros meses. Mas como eu não imaginei que ia engravidar tão rápido e de certa forma foi meio inesperado, só comecei a tomar quando já estava com mais de 2 meses, bem no meio da idade gestacional mais importante.
São nos 3 primeiros meses que se dá a formação do bebê (que por sinal, nessa idade, os médicos costumam chamar de feto ainda, mas uma mãe não trataria assim seu filhinho/a), por isso essa suplementação é tão importante nessa fase.
Então se você é mamãe de primeira viagem, como eu, saiba que não precisa esperar a consulta do seu médico, já pode ir tomando logo o Ácido Fólico. A não ser que você tenha algum problema, alguma deficiência, sei lá. Daí é melhor esperar mesmo, mas se você não tem problemas de saúde, pode ter certeza que essa vitamina é de extrema importância.
A falta do Ácido Fólico pode causar anemia, e aí o sofrimento é grande.
As futuras mamães que tem gastrite, como eu, não devem tomar nenhuma vitamina de estômago vazio, pois pode sentir dor estomacal. Eu geralmente tomo depois do jantar, antes de dormir.

Nossa, esse post tá parecendo mais uma consulta, né? Desculpem, é mal de nutricionista querer passar essas informações, hehe...

Ah sim, esqueci de dizer os exames que o médico pediu pra eu fazer.
Esses exames são os mais comuns de se fazer quando se descobre uma gravidez.
Segue abaixo a lista desses exames:


Ácido Úrico                                                                          
Anticorpos Anti - HIV (1+2)                                                  
Anticorpos Anti - Hepatite C (HCV)                                      
Antígeno Australia (HBSAG)                                                  
Citomegalovírus (IgG)                                                            
Enzimoimunoensaio                                                                
Citomegalovírus (IgM) - Soro                                                
Creatinina                                                                              
Glicose
Toxoplasmose - Anticorpos IgM
Uréia
Urina Tipo 1
Toxoplasmose - Anticorpos IgG
Sistema ABO e RH
Sífilis - VDRL
Hemograma

De todos esses exames que eu fiz, deu uma pequena alteração na minha proteína e na glicose.
Na proteína deu perda positiva com um x. Isso significa que eu preciso ingerir mais proteína, pois o bebê está  absorvendo mais proteína do meu corpo do que eu tenho ingerido. Como é só um x, é algo bem leve. Mas vamos comer carne, hehehe...
Com relação a glicose, o normal é de 70 a 99 mg/dL. O meu deu 86mg/dL, ou seja, ao meu ver não deu alteração nenhuma, pois está dentro do normal, mas dois médicos que olharam me falaram que isso era uma suspeita de diabetes gestacional.
Fiquei extremamente preocupada, é claro. Logo eu, que amo doces e carboidratos. Talvez seja exatamente por isso, pelo meu exagero desses dois nutrientes que veio a dar essa "suposta" alteração.

O Diabetes Gestacional é uma impossibilidade do organismo de utilizar a glicose, geralmente por uma deficiência nos receptores de insulina. As gestantes com GPJ acima de 126 mg/dL tem DMG com certeza, e aquelas que tiverem acima de 85 mg/dL podem ter somente uma suspeita. Ou seja, estou no segundo grupo.
Mas pelos sintomas eu acho que não tenho DMG não, pois quem foi realmente diagnosticado tem um aumento elevado do apetite e consequentemente um ganho de peso exagerado e rápido. Eu continuo comendo da mesma maneira de quando não estava grávida e fiz foi perder peso. Então creio que está tudo bem.
Por outro lado, minha dilatação uterina está um pouquinho acima do da maioria das gestantes de acordo com a idade gestacional, mas de acordo com o médico, é devido a uma grande quantidade de líquido amniótico e nada tem a ver com o bebê, e tb não tem nenhuma relação com ter ou não ter DMG (Diabetes Mellitus Gestacional).
Provavelmente eu irei refazer o teste de glicose, se der a mesma coisa ou mais alta, devo fazer uma intolerância a glicose e depois uma curva glicêmica. Se der mais baixo, significa que eu simplesmente comi muito doce ou carboidrato um dia antes do exame. Mas isso eu realmente não me lembro, só sei que ultimamente eu tenho comido muita lasanha (carboidrato puro, que no nosso organismo se transforma em glicose).

O tratamento na verdade é até simples: dieta (com restrição de açúcar e carboidratos, que eu mesma posso fazer pra mim) e exercício físico (de leve a moderado, é claro). E somente se isso não resolver é que vai entrar a tão temida insulina.


Ter ou não ter DMG? Eis a questão!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário