quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Mudanças

É... A vida não anda muito fácil pra mim. Às vezes acho que reclamo demais, mas eu nunca passei por nada disso que ando passando ultimamente, e tudo que é novo na nossa vida a gente tende a ter mais dificuldade.

Estou cheia de trabalhos da faculdade pra entregar, e nos próximos dias já será a semana de provas.
A verdade é que eu não estou conseguindo estudar em casa, nem fazer os trabalho e nem assistir aula direito. Motivo: mal estar constante.
Os enjoos em si até deram uma trégua, mas me sinto fraca, sem forças, sem ânimo. Ando tendo muitas dores de cabeça e insônia. Durante o dia fico caindo de sono, mas quando chega a noite eu não consigo dormir. A cama me incomoda, o edredom me sufoca, mas sem ele sinto frio, me irrito com tudo, até com o corte de cabelo do Diogo, não tenho paciência pra conversar e do nada fico extremamente triste...
Eu realmente não estou bem. Às vezes não consigo nem orar, por falta de coragem de abrir a boca, e acabo pedindo ajuda a Deus em pensamento mesmo.
Alguns médicos definiriam esse estado como depressão, mas sabem que devido a gravidez, dizem novamente que é normal e que é culpa dos hormônios. Já tô cansada de ouvir essa mesma resposta pra tudo que sinto.
Ah, e tem mais uma coisa que eu nunca imaginei que tinha a ver com gravidez, nem se quer nunca tinha lido sobre isso: meu nariz vive entupido, está sempre congestionado, então quando eu deito a situação dá uma piorada master, e é mais um motivo pra não conseguir dormir. Ando gastando um potinho de Neo Soro por semana. Esse negócio vicia, e acho que já era pra mim. Agora só ando com um na bolsa e sempre fica um no criado mudo ao lado da minha cama. Simplesmente não vivo mais sem ele. Oh, Lord!!!

Pra completar, a empresa que o Diogo trabalhava simplesmente fechou, mandando embora mais de 2 mil funcionários, e claro que ele foi um dos demitidos.
Não é a primeira vez que passamos por isso... Me lembro de faltando pouco mais de um mês pra gente se casar, o Diogo ficou desempregado, e agora que estou grávida estamos na mesma situação.
Creio que logo ele arrumará outro emprego, mas o que me deixou mais triste e preocupada foi o fato de perdermos nosso plano de saúde. Agora vamos ter que nos virar.
Pensei em duas hipóteses: entramos em um novo convênio médico, que vai sair bem mais caro que o nosso anterior (por ser plano familiar e não empresarial como o que era) e que ando me decepcionando com esses planos; ou encaro a rede pública, que no Brasil ela meia precária, como muitas gestantes já devem saber.

Bom, depois de muito pensar, resolvi ir no Posto de Saúde, próximo ao meu trabalho. Se eu não gostasse, eu desistiria e faria logo um novo plano. Mas... Eu gostei muito do atendimento lá.
No Postinho (da rede pública, que gosto de frisar, pois a maioria das pessoas tem uma visão ruim, assim como eu tinha) eles dão o maior atendimento as gestantes, elas sempre tem preferência nos atendimentos.
Fui lá e marquei minha primeira consulta, que ficou agendada para o dia 19 de Outubro.
Vamos ver se vou gostar, mas tenho boas esperanças!

Nenhum comentário:

Postar um comentário