sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Fábrica de Leite

Genteeeeeeeeeeeeeeeee... Saudades de escrever aki!!!

Então, nessa última terça-feira tive mais uma consulta de pré-natal, e dessa vez o assunto foram os "mamás". Sim, os seios, que a essa altura já se tornaram uma fonte de alimentação do seu bem mais precioso.
Eu não posso negar que desde que engravidei tenho sonhado em amamentar. Se tornou um sonho. Eu fico imaginando o tamanho da ligação entre o bebê e mãe, acho que o vínculo se torna algo muito grande.
Todas os cuidados podem ser feitos por outras pessoas, como trocar fraldas, dar banho, colocar para arrotar... Mas amamentar é algo que só a mãe, e mais ninguém, pode fazer.
Claro que junto com esse sonho também vêm os medos, as aflições... Medo de não ter leite, receio de ser torturante por questão de feridas e machucados nos seios, a incerteza do será que o bebê vai conseguir fazer a "pega" correta? Enfim, são inúmeras dúvidas que nos assolam com relação a amamentação.
Aconteceu comigo uma coisa meia bizarrinha, que para muitos daria até nojo, mas não posso negar que fiquei extremamente feliz. Durante essa última consulta, a Dra. fez exames de toque nos meus seios, e constatou que já estou produzindo o colostro (aquele primeiro leite que a mulher produz), e que eles estão bem densos, ou seja, sim, já tenho leite pra dar e vender!!! Quando cheguei em casa, já a noite, fui tomar banho, e notei que meu sutiã estava meio molhado de leite. Fiquei meia perplexa com isso, afinal, ainda estou entrando no sétimo mês, e na minha simples cabecinha, isso só iria acontecer depois de nascer ou se muito precoce, no último mês de gestação. Depois de passado o susto, fiquei muito feliz... Meu sonho de amamentar já estava em percurso. Creio que isso aconteceu devido ao exame feito de manhã, mas mesmo assim me surpreendi!

Bom, como uma futura nutricionista, eu não poderia deixar de falar sobre a importância do aleitamento materno. Claro que a minha médica frizou muito isso, e mesmo eu já sabendo, deixei ela falar tudinho, como se eu estivesse ouvindo aquilo pela primeira vez.
O colostro, que eu citei agora a pouco, é considerado a primeira vacina para o bebê, pois os protege de inúmeras doenças do nosso mundo aqui fora, é riquíssimo em anticorpos, água, proteína, carboidrato, e muitos outros nutrientes responsáveis pela alimentação e fortalecimento do bebê. Fora essas composições, o colostro também é o responsável por amadurecer o intestino do novo serzinho, inibindo possíveis alergias e problemas gastrointestinais. Além de tudo isso, posso afirmar que bebês que são nutridos com leite materno têm bem menos cólicas, ou até mesmo não apresentam.
Essa questão da cólica eu mesma vi com meus próprios olhos. Eu tenho uma cunhada que por motivos dela (depois eu explico melhor esses motivos), a bebezinha dela não foi amamentada no peito, e desde uma semana de nascida, ela mama leite em pó NAN. Não estou falando da marca, afinal, os químicos e outros profissionais que elaboraram a composição desse leite estão de parabéns, pois ele realmente é bem completo e se aproxima do leite do materno, mas também não posso dizer que é a mesma coisa, pois o que Deus fez, homem nenhum consegue imitar. Então é óbvio que o leite materno, sem sombra de dúvida, é a melhor forma de alimentar o seu baby. Bom, voltando a minha cunhada... Então, a bebê dela teve muita cólica, muita mesma. Dia ou outro ela berrava de dor, e não havia nada nem ninguém que conseguisse fazê-la se acalmar. Claro, né? Se nós adultos sofremos com dor, imagina uma recém-nascida! Claro que essas cólicas podem ter sido causadas por outros fatores em conjunto, mas o principal fator, foi a falta da amamentação.
Em contra partida, a esposa do meu primo também teve neném na mesma época, e ela amamentou muuuuuuito, e amamenta até hoje. A bebê dela nunca teve uma cólica se quer. Nunca mesmo! É uma coisa incrível!!! Do mesmo modo, essa ausência de cólica também pode ter uma junção de outros fatores, mas também posso afirmar que o fator primordial é a amamentação.
Outra coisa muito importante que muitas mamães não sabem, e acabam fazendo errado, é a troca de seios. Isso é muito importante, então te peço que ao ler isso, preste muuuuuuuuuuuuita atenção, muita mesmo...
A mamada se divide em 3 partes. Os primeiros minutinhos da mamada, seu bebê estará sendo hidratado, pois esse primeiro ciclo do leite é bem rico em água (o que fazem muitas mães acharem que o leite é fraco. Logo vou falar disso tb), o segundo ciclo se dá com uma grande quantidade de proteína, o que vai trazer força muscular para o seu filhote. É assim que ele vai fortalecendo os ossinhos e musculatura, fazendo-o com que ele fique cada vez mais durinho, conseguindo levando a cabecinha e manter seu tronco firme e em pé. E por fim, lá pelos 20 a 50 minutos, é que vem a parte mais importante, é o leite rico em gordura. Sim, isso mesmo, gordura. Seu novo baby precisa ganhar peso, e nessa fase (recém-nascido) os tecidos são fininhos e precisam se aquecer, então a temperatura ideal do baby depende da mamada até o final, até o esvaziamento total do seio. Ou seja, nada de ficar trocando o bebê de peito toda hora, o certo é deixá-lo de saciar somente em um seio, e só na próxima mamada é que você vai trocar de seio. É assim que se revesa o peito, é assim que se faz o rodízio do seio, trocando a cada mamada e não trocando numa mesma mamada. Lembre-se sempre disso!!!! E se possível, passe essa informação para frente! Podem confiar em mim, isso é real!

Agora vamos falar sobre o mito do "Leite Fraco". Muitas mães ficam inseguras achando que o seu leite é fraco, mas saibam que isso não passa de mito. Leite fraco não existe, a não ser que a mãe sofra de desnutrição severa, o que não é o caso das grande maioria das mulheres. O nosso corpo durante a gravidez e a amamentação faz de tudo para o bebê, isso mesmo, para o bebê. O organismo tira de nós e manda pro bebê pelo cordão umbilical (durante a gestação) ou através do leite materno (depois do parto). Ou seja, a prioridade é manter o bebê saudável, pois você pode se virar pra conseguir o que precisa, e o bebê não.
Todo leite é rico em muitos nutrientes, todos os que o neném precisa. O máximo que pode acontecer é a quantidade produzida pelo seu corpo não ser suficiente para manter o bebê. Sendo assim o que pode ter alteração é na quantidade e não na qualidade. Porém, a quantidade não depende da mãe e sim do bebê. Quanto mais o bebê mama, mais os seios produzem leite, então tudo depende se seu bebê mama pouco ou muito. Por tanto essa história de que tomar Plasil pra aumentar o leite, ou tomar outra coisa qualquer não faz sentido. Mais uma vez eu digo que o nosso organismo é inteligente, e Deus nos criou para isso, então nosso organismo só vai produzir de acordo com a mamada do bebê. A única dica que eu posso dar pra aumentar a produção de leite é: esvazie sua mama sempre que possível, você mesma, sem o bebê mamar. Assim seu organismo vai entender que agora ele precisa produzir mais.
Exitem três motivos para a mãe produzir pouco leite: 1º - O bebê não mama o suficiente por estar doente ou por estar sendo alimentado tb com água, chás etc. 2º - O bebê que não tem a pega correta. 3º - O bebê que é interrompido de mamar ou que a mãe quer forçá-lo a amamentar em horários específicos, mas que ele ainda não está com fome.
Ou seja, certificando que esses três pontos não aconteçam, dificilmente você terá pouco leite.

Outro detalhe é o visual do leite. Muitas mulheres acreditam ser fraco devido a aparência desse leite, dando a impressão de ser aguado, ralo. Mas a aparência não é quase nada importante, pois o leite materno é extremamente mais "forte" que o leite de vaca em muitos fatores, apesar do leite de vaca parecer ser mais espesso. Essa aparência do leite materno se dá pela glicose contida nele, que acaba dando aquela aparência.

Já com relação a falta de bico, isso é facilmente resolvido. Hoje existe em qualquer farmácia (pelo o menos aqui em Brasília)  conchas de seios, que nada mais é que um aparelhinho de silicone que faz o seio formar bico, e também é utilizado para reter o leite que vaza durante o dia. Segue abaixo a foto do tal aparelhinho. 


Nossa, eu acho que tenho muita coisa pra falar de seio, de amamentação, mas acho que esse post já ta ficando muito grande, né? Vou tentar resumir os outros assuntos, pois acho que tudo o que eu já falei até agora foram os tópicos que eu considero os mais importantes.

Continuando, também têm a história da preparação dos seios tomando sol e utilizando bucha vegetal. Esse é um assunto muito polêmico, pois nunca foi provado cientificamente se esses dois artifícios funcionam mesmo ou não. Então vou falar da minha experiência.
Tomar sol nos seios eu nunca testei, até pq onde moro não dá pra sair pro quintal de topless, né? Já a bucha eu cheguei e usar algumas vezes. O que percebi foi que no início dói muito, depois vai melhorando, ou seja, o mamilo fica mais resistente mesmo, deixa de ser tão sensível. Mas quando eu fui a uma palestra no Posto de Saúde de Pré-Natal, as enfermeiras sempre diziam que nada disso funciona. Como eu disse antes, esse assunto não tem fim, pois tem as duas vertentes bem convincentes.
Agora o que eu posso afirmar de forma concreta é que a utilização de cremes ou óleos hidratantes nos mamilos os deixam cada vez mais macios, delicados e sensíveis, ou seja, evite utilizar esses produtos nos mamilos, utilize somente no corpo do seio e não no mamilo. Já com relação ao sol, eu realmente não sei o fundamento disso. Procurei na internet e em livros, mas nada deixou claro o motivo para tomar sol nos seios. Então não vou aderir. Sem o porque, sem saber o motivo, eu particularmente não farei. Mas isso é só minha opinião.

Agora com relação aos cuidados durante a amamentação, o que fazer se rachar, de seio ingurgitado ou com mastite, eu vou falar mais pra frente, quando minha Sarinha já estiver em meus braços!!!!

Bom, é isso! Bju.

Nenhum comentário:

Postar um comentário